Meu perfil
BRASIL, Sudeste, VITORIA, JUCUTUQUARA, Homem, de 20 a 25 anos, Portuguese



Arquivos

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis




Toque de letra
 


A estreia do camisa 7

Sábado, 18h30, segunda rodada do Campeonato Brasileiro. O Flamengo recebeu o Internacional no Engenhão, em um jogo difícil, repleto de expectativas em torno da estreia de Ibson. O rubro-negro abriu 2 a 0 no placar, com Airton e Ronaldinho Gaúcho. O gol sofrido ainda na primeira etapa dava sinais de que algo poderia dar errado. E deu.

O primeiro gol veio de uma boa cobrança de escanteio de R10. O desvio de cabeça de Gonzáles fez o goleiro  Muriel espalmar para o meio da pequena área. O volante Airton acertou de canhota, inaugurando o marcador. Foi uma jogada bem trabalhada, de bola parada, com aproveitamento legal. A falha de marcação colorada foi do lateral Nei, que estava encostado no jogador do Fla, mas ficou olhando pra bola quando ela veio das mãos de Muriel.

O Flamengo ampliou a vantagem com um pênalti cometido pelo zagueiro Índio, que a meu ver está esclerosado e poderia jogar a toalha. Quem sofreu o golpe foi o estreante Ibson, que disputou bola com o marcador colorado, após falhas na saída do Inter. R10 marcou, numa cobrança onde Muriel não saiu na foto, e a torcida pôde ver o meio-campo comemorar como se tivesse ganho um título. Em meio a tantas histórias bizarras envolvendo sua pessoa e seu irmão e empresário, Ronaldinho reverenciou a torcida.

O Inter diminuiu com um gol bobo, mais uma vez, que o rubro-negro sofre. Wellington ficou procurando as borboletas, e viu Gilberto marcar. Já começava funcionar o grande time desfalcado de Dorival Júnior, o mestre tático com um elenco de mão cheia. Uma equipe sem Damigol, Magic Oscar, D'Ale, e agregados.

Na segunda etapa, a maior torcida do Brasil pôde ver o apagadíssimo Vágner Love marcar um belo gol logo no início. Abrir 3 a 1 seria sinônimo de segurar o placar e partir pro abraço. Mas quem não se lembra dos 3 a 0 contra o Olímpia na Copa Libertadores??? Pois é meus amigos. O Fla sofreu dois golaços de fora da área, onde a falha de marcação determinaram a facilidade colorada em marcar os gols que empataram a partida. O grande lateral-esquerdo Fabrício pegou na veia, e Dátolo fez o terceiro com uma bela jogada.

Na opinião deste que vos escreve, o erro está na falta de formação tática de Joel Santana. O exemplo está na partida desta noite. Enquanto Dorival Júnior quebrou a cabeça para escalar o Inter sem 8 atletas, e principalmente sem 3 estrelas, Joel Santana tinha a estreia do "salvador da Gávea". Mas de que adianta tudo isso, se o papai rubro-negro escala Luiz Antônio (que joga na mesma posição de Ibson), com o camisa 7 + Kléberson ARMANDO JOGADAS DE ATAQUE? R10 na frente com Love, e Deivid esquentando banco. Assim fica difícil.

O Flamengo soma 2 pontos, sendo que este último conquistado deve ser considerado como derrota. É impossível acreditar que um time que treina 27 dias volta tão mal assim. Parece mais clubes de menor expressão, que não disputam quase nada, só treinam, e quando competem fazer papel de figurante.

Detalhes:

- Foi pênalti de Nei no lance em que o jogador achou que era goleiro e jogou a bola pra escanteio com as duas mãos;

- R10 não conseguiu dar um pique maior que Índio (o cansadão) mesmo saindo na frente nessa corrida;

- Se Wellington é zagueiro, eu sou astronauta;

- O Inter tinha time pra ganhar a Libertadores. Como foi eliminado, é uma equipe consistente, candidatíssima ao título!



Escrito por Acácio Rodrigues às 20h50
[] [envie esta mensagem
] []





Post atrasado da Libertadores

Pois é, a correria da faculdade me deixou super preguiçoso essa semana. Acabei esquecendo de comentar os jogos da Libertadores, mas ainda há tempo, antes que eu organize tudo aqui para a segunda rodada do Campeonato Brasileiro.

Vamos começar pelo jogo do Engenhão entre Fluminense e Boca Juniors. O time xeneize se classificou com o empate em 1 a 1 no Rio de Janeiro, pela vantagem conquistada no jogo de ida na Bombonera com a vitória por 1 a 0. É, mas o resultado não foi de acordo com o jogo. Só que futebol, Libertadores, Brasil x Argentina... é desse jeito. Os torcedores do time carioca com certeza não ficaram satisfeitos com o gol de Santiago "El Tanque" Silva (falei no estilo UFC para o aquecimento do evento de hoje).

O gol do Flu teve uma história emocionante entre pai e filho. Carleto não imaginava que o sonho de seu pai ia acontecer... mas acho que ele teria preferido um sonho de classificação. Na verdade, se formos apontar erros, a equipe de Abel Braga cochilou na segunda etapa. A marcação deveria ter sido mais forte, e até pelo menos os 15 minutos do segundo tempo o placar podia ter sido ampliado. Levar um gol aos 45, perto do apito final, e ver o esforço ir por água abaixo não é fácil.

O time poderia ter feito mais. Muito mais. Abel soube conduzir a equipe, mas os jogadores não conseguiram produzir o que se esperava de um "time de guerreiros". O Boca cumpriu seu papel de jogar com o regulamento debaixo do braço. Sentiu o golpe no início da partida, quando viu Orión levar o gol de falta, mas não se intimidou. Enfim, o Boca fez a parte que lhe cabia, e deu o troco de 2008.

No Pacaembu

Vascaínos não vão perdoar o segundo gol mais perdido de 2012, cena protagonizada por Diego Souza.

Na Vila

Méritos de PH Ganso, Neymar, Arouca, Rafael e Alan Kardec. O primeiro, mesmo com artroscopia marcada, deu um show na Vila Belmiro. O moicano apanhou, mas ensinou os argentinos como se joga futebol. Arouca foi o maestro da marcação e jogadas de ligação com o ataque. Rafael mostrou que tem cacife suficiente para ser o goleiro olímpico.

 



Escrito por Acácio Rodrigues às 17h25
[] [envie esta mensagem
] []





Yo soy un goleador, el Loco

O título deste post é um recado do argentino Herrera, atacante do Botafogo de Futebol e Regatas. O jogador anotou 3 gols no último domingo (20) contra o São Paulo pelo Brasileirão. Com 14 gols marcados na temporada, o atleta passa Loco Abreu, ídolo do alvinegro, que tem na conta 12 bolas na rede em 2012. Mas a atuação magistral de Herrera não deve ser vista como exemplo único.

Herrera jogou por Corinthians e Grêmio antes de chegar ao Botafogo. O atacante leva aos gramados a garra argentina, e não joga centralizado na área. Atua diretamente pelos lados, e se movimenta bastante. Não tem um comportamento fixo dentro de campo, e sim, tem as características suficientes para ser titular ao lado de Loco Abreu.

Existe a ideia de que o fato do ídolo botafoguense não jogar pela seleção uruguaia nesta sexta, abre a opção de Herrera ficar no banco. Mas as boas atuações tem sido suficientes para gerar uma dúvida na cabeça de Oswaldo Oliveira. Ora, Herrera tem características diferentes de Loco Abreu. Enquanto o uruguaio joga na área, é bom no jogo aéreo, e tem a cancha de centroavante, Herrera é jogador de movimentação, como mencionei acima.

O time do Botafogo é bom, e principalmente se atuar como fez contra o Vasco na final da Taça Rio, e domingo (20) contra o tricolor paulista. Sinceramente, apostaria em um Botafogo completo na movimentação. O lateral-esquerdo, Márcio Azevedo, tem apresentado bom futebol. Isso já faz com que as jogadas de lado aconteçam, só há a necessidade de ter um do lado direito. Lucas adora ser expulso.

A equipe poderia ser a seguinte: Jefferson, Lucas, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Márcio Azevedo; Renato, Marcelo Mattos, Fellype Gabriel e Andrezinho; Herrera e Loco Abreu.

Com essa formação, o Botafogo teria dois bons laterais (se o Lucas não levar o vermelho), zaga forte, com ótimos volantes à frente, meio-campo criativo (embora Andrezinho não me agrade muito), e um ataque positivo. A postura tática poderia ser reforçada pelos lados, sem a necessidade suprema dos laterais voltarem para marcar, já que a constituição da zaga + volantes poderia suprir essa questão. Andrezinho pode encostar um pouco mais no ataque, enquanto Fellype Gabriel vem de trás. Esse sim seria um time bom para o Botafogo durante o Brasileirão.



Escrito por Acácio Rodrigues às 12h43
[] [envie esta mensagem
] []





Contagem regressiva

Marque seu relógio, anote na agenda, e não se esqueça: sábado (26) é dia de defesa de cinturão no UFC! É Brasil no octógono. Júnior Cigano dos Santos enfrenta Frank Mir no UFC 146 em Las. O evento terá a estreia do brasileiro Glover Teixeira, que encara Kyle Kingsbury no card preliminar. Também faz parte do show deste sábado (26) o grande "motosserra" da vez. Edson Barboza, autor de um dos nocautes mais brilhantes da história do evento, feito no último UFC Rio contra Terry Etim.

Enfim, os leões da jaula farão um grande espetáculo, que já vem sendo apimentado pelas declarações de Frank Mir. O lutador dos pesados tem chamado a atenção "imitando" Chael Sonnen. Mas até pra isso o cara manda mal. Antônio Pezão enfrenta Cain Velásquez, e este também promete ser um duelo imperdível. Como diz o grande narrador Rhoodes Lima, calce suas luvas e vista seu protetor bucal!

UFC 146
26 de maio de 2012, em Las Vegas (EUA)

CARD PRINCIPAL
Junior Cigano x Frank Mir
Cain Velásquez x Antônio Pezão
Roy Nelson x Dave Herman
Shane del Rosario x Stipe Miocic
Stefan Struve x Lavar Johnson

CARD PRELIMINAR
Diego Brandão x Darren Elkins
Jamie Varner x Edson Barboza
Jason "Mayhem" Miller x C.B. Dollaway
Jacob Volkmann x Paul Sass
Dan Hardy x Duane Ludwig
Kyle Kingsbury x Glover Teixeira
Mike Brown x Daniel Pineda



Escrito por Acácio Rodrigues às 07h14
[] [envie esta mensagem
] []





Quarta é dia de branco!

Nesta quarta-feira (23), dois times cariocas definem vagas na Copa Libertadores. Fluminense e Vasco tem missões completamente difíceis diante de seus adversários. O cruzmaltino ficou no zero com o Corinthians no jogo de ida, enquanto o tricolor perdeu por 1 a 0 para o Boca na Bombonera. Fato é que serão dois confrontos épicos, e que aí sim temos testes pra cardíacos!

O Vasco precisa marcar gols, precisa calar o Pacaembu. Tarefa árdua diante de um bando de loucos. A equipe de Cristóvão Borges encara um elenco fortíssimo dentro de casa, junto com sua massa. O técnico do Vasco precisa deixar de lado alguns posicionamentos estranhos. Mas falando no time que tem, um grande trunfo pode ser apostar nas jogadas de velocidade, postando bem os laterais em favor de Éder Luís, que tem poderio ofensivo e é forte nas decisões. Tem uma postura de líder, e consegue duelar com superioridade. Se preferirmos nos adequar às artes marciais, o jogador entra em campo com sangue nos olhos. Mas o atacante não é o único bom trunfo vascaíno. Os veteranos podem contribuir, e muito com o Gigante da Colina.

No Parque São Jorge, a situação parece ser mais favorável, principalmente por jogar em São Paulo. Mas Libertadores é isso: improbabilidade sempre! Um time com grandes jogadores não significa tanto em algumas ocasiões. Mas o caldeirão que vai virar o Pacaembu, aí sim entra em campo e coloca a bola nas redes, classifica time, avança de fase. Toda a energia será passada aos jogadores. Porém, entretanto, contudo, todavia, vale lembrar que o Timão foi desclassificado pelo Flamengo em 2010 jogando em casa. Obviamente que na época, o Fla tinha vantagem de 1 gol, mas R9 marcou duas vezes, e viu Vágner Love calar o apitaço nas arquibancadas. Nada é impossível na Libertadores.

Tanto é, que vejo o Internacional mais time que Vasco e Corinthians. Mas o Colorado foi eliminado pelo Fluminense. E ai? O tricolor perdeu para o Boca na última quarta-feira (16), e agora tem pela frente a máquina argentina de catimbar jogos. O fator psicológico interferiu, e muito, no resultado. Sem esquecermos da arbitragem mentirosa, é claro. Mas o time xeneize não perdeu tempo, e pilhou seu adversário da melhor forma possível.

Jogando bem, o Flu precisa mostrar que é mais. Abel Braga tem em mãos um time fantástico! Cavalieri, boa zaga, meio-campo com vasta experiência e qualidade, mesmo desfalcado, e um ataque primoroso. Vejamos: se em última instância o treinador precisar colocar em campo o Marcos Júnior, estará bem servido. O tricolor tem tudo para superar os hermanos, basta ter cabeça no lugar, e saber finalizar. O jogo será em casa, e não há o que temer quanto a pressão. A torcida vai incendiar o estádio com seus gritos de "time de guerreiros", a noite da super quarta promete.



Escrito por Acácio Rodrigues às 00h02
[] [envie esta mensagem
] []





Bom reforço.

A contratação de Ibson foi uma iniciativa bem feita pela diretoria do Flamengo. É necessário registrar que o volante é um bom reforço. Ídolo da torcida, tem identificação com o clube, e vai ajudar muito o rubro-negro neste Brasileirão. Mas apesar de todos os pontos positivos que podemos apontar, o time da Gávea precisa entender que não basta o Ibson, nem os jogadores de equipes menores do Rio de Janeiro.

O Flamengo é um time de massa, e tem em seu elenco nomes de encher os olhos. O problema é esse, tem no papel um time recheado. Mas o tempero não tem sido agradável. O empate com o Sport no último sábado (19) não foi novidade, e sim um "alívio". Os torcedores com certeza viram uma luz no fim do túnel com o gol de Vágner Love, pois a tendência vista no primeiro tempo era de sair do nordeste com um resultado negativo na estreia. Apesar de ter treinado durante 27 dias, a postura do Flamengo de Joel Santana foi muito abaixo do que se podia imaginar de um time descansado.

Vamos pensar no início. O Flamengo entrou em campo sem o Deivid, com R10 no ataque ao lado do centroavante das trancinhas. Qual o motivo de se fazer isto? Talvez seja no formato de meio-campo que o treinador quis implantar, com Rômulo sendo principal homem de marcação. Mas essa é uma aposta vencida, e há muito tempo. Joel Santana é retranqueiro sim, mas não é hora de postar um time marcador. A galera nas arquibancadas quer ver um time, e não um quartel.

Voltemos ao Ibson: com o volante que deixou o Santos para retornar ao clube do coração, a proposta de titulares poderia, a meu ver, ser com Paulo Victor (que fez uma excelente partida no Recife), Léo Moura, algum zagueiro diferente do Welinton, Gonzalez (que ainda não mostrou a que veio) e Magal (ou reforço que pode chegar); Muralha, Ibson, Kleberson e Ronaldinho; Deivid e Vágner Love. Alguns podem me perguntar: e o Luís Antônio? Esse pra mim acaba se tornando um problema, pois tem jogado muito bem, mas com a chegada do Ibson perde a posição. O "Penta" tem atuado bem, e não merece sair da equipe. Escalei o Muralha pela característica de marcação, mas suponhamos que venha o Cáceres. Aí sim, o moicano júnior vai para o banco.

Detalhe: as dificuldades rubro-negras estão na defesa. Do meio pra frente, tá tudo certo, com exceção do R10, que tá mais pra Rzero ultimamente. Vamos ver como Zinho, Coutinho e cia vão solucionar as carências do Flamengo. Enquanto isso, seguimos aguardando a 4ª ou 5ª rodada para vermos o time que Joel Santana prometeu. 



Escrito por Acácio Rodrigues às 23h32
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]